Depressão

por Dr. Rafael Simões

INTRODUÇÃO

pessoa com depressão
Existem alguns entendimentos para depressão. Na linguagem comum, podemos nos sentir temporariamente tristes e desaminados e referir que estamos deprimidos. 

Do ponto de vista da psiquiatria e da saúde mental, chamamos depressão um quadro mais intenso e duradouro, com grande sofrimento e prejuízo na qualidade de vida da pessoa. Nesses casos, estamos diante de um transtorno psiquiátrico.

Esse transtorno é caracterizado por rebaixamento do humor, em que a pessoa se sente com tristeza intensa, persistente, por vezes chorosa, com baixa da autoestima, com sentimento difuso de culpa e com desesperança diante da vida.

Adicionalmente, a pessoa pode sentir diminuição de sua energia vital e perder a satisfação com atividades que antes lhe proporcionavam prazer. A pessoa pode ficar mais retraída e abandonar algumas de suas atividades habituais. Pode ocorrer, ainda, alteração do sono, do apetite, da libido e ideias de morte.

É importante diferenciar esse tristeza patológica daquela provocada por acontecimentos duros e tristes que ocorrem com todas as pessoas, como a morte de um ente querido, a perda de emprego, os desencontros amorosos, os desentendimentos familiares. Esses momentos da vida provocam sofrimento, mas não acarretam necessariamente um transtorno depressivo.  

 

DEPRESSÃO: PREVALÊNCIA, CURSO E FATORES RELACIONADOS

A depressão acomete cerca de 15% das pessoas durante a vida. O transtorno tem média de início antes dos 30 anos e afeta 3 mulheres para cada homem.

Em metade das pessoas ocorre em um episódio único, seguido de recuperação. Na outra metade tende a apresentar um curso crônico, com episódios recorrentes de depressão no decorrer da vida.

A depressão tem origem multifatorial. De um lado, existe uma contribuição da predisposição genética. De outro, há fatores de risco que aumentam a chance de uma pessoa desenvolver depressão. Esses fatores de risco podem ser acontecimentos traumáticos na infância, perdas afetivas, desemprego, uso abusivo de álcool e de outra drogas.

 

TRATAMENTO DA DEPRESSÃO

A depressão é um transtorno que causa sofrimento e perda da qualidade de vida e tem tratamento. A maioria dos pacientes consegue melhora.

É fundamental buscar profissionais qualificados para o correto diagnóstico e para promover o tratamento adequado.

O tratamento pode empregar medicamentos e psicoterapia.

 

ORIENTAÇÕES

A depressão não pode ser confundida com preguiça, com falta de responsabilidade, com descrença religiosa ou com características de personalidade, como ” ele é ranzinza mesmo”.
A depressão ocorre em qualquer idade. Nas crianças pode ser confundido com timidez ou com rebeldia e na velhice como “cansaço da idade”.  

Se você tem se sentido tristonho, desanimado e perdendo a graça com a vida, procure auxílio médico. O diagnóstico e o tratamento precoce são fundamentais para que você retome sua vida.

A família pode auxiliar, incentivando a pessoa a se consultar e a se cuidar/ tratar. Pode, ainda, compreender melhor a depressão e a apoiar emocionalmente o paciente.  

 

ONDE TRATAR

O CENTRO DE ATENÇÃO À SAÚDE MENTAL oferece consultas com especialistas, que promovem o tratamento humanizado e multiprofissional. Estamos à disposição para te atender.

 

Compartilhe

Whatsapp

 

SAIBA MAIS

Saiba mais sobre outros transtornos e outros artigos informativos.

Conheça mais o psiquiatra Dr. Rafael Simões